Macierzyństwo / Stanisław Wyspiański. 1902. Muzeum Narodowe, Warszawa.

Deus tornando-se criança pequenina,
dependeu de peitos humanos.

São Francisco de Assis
(2Cel 199,1)

A Fraternidade Nossa Senhora dos Anjos da Porciúncula da Ordem Franciscana Secular e a Paróquia São Francisco de Assis de Porto Alegre convidam franciscanos/as e pessoas interessadas para o Retiro Franciscano preparativo ao Natal com o tema:

Natal,
a maior caridade não é dar,
mas receber

A orientação estará a cargo de

Frei Dorvalino Fassini, OFM

Quem tiver e puder venha com a Oração (Liturgia) das Horas e as Fontes Franciscanas.

PROGRAMA

8h – Chegada
8h30min – Oração da Manhã
– Leitura e Reflexão de textos de São Francisco
10h – Cafezinho
– Continuação da Leitura e da Reflexão
11h15min – Tempo pessoal e para confissão
11h45min – Oração do Meio Dia
12h – Almoço ao preço de R$ 8,00
– Tempo livre e pessoal
13h30min – Terço meditado
14h – Leitura e reflexão de passagens das Fontes Franciscanas
15h – Cafezinho
– Continuação da Leitura e da Reflexão
16h – Tempo pessoal para meditar, rezar e confessar
16h30min – Oração da Tarde
17h – Missa do Segundo Domingo do Advento

Data: 05 dez. 2009, sábado
Local: Igreja São Francisco de Assis
Rua Domingos Crescêncio com São Luis
Custo do Almoço: R$8,00

Comunique sua participação na Secretaria da Paróquia ou pelo tel: 3223-3244

Tivemos a alegria de contar com novos membros neste Encontro de Área, as Jufras do Paraná e de Santa Catarina fizeram-se representar, e o fizeram muito bem! Os três Regionais estavam presentes ao Encontro que se realizou dias 5 e 6 setembro de 2009, em Curitiba, Paraná. Trocamos experiências, idéias e energias! Construímos de forma bastante democrática o novo projeto de Formação para o triênio 2010-2012.

Propostas:

2010: 1) Oração, contemplação e ação na vida do Franciscano secular;

2011: 2) A missão dos franciscanos seculares;

2012: 3) A dimensão da justiça, paz e ecologia na nossa missão.

 

Justificativa:

 

1)      A necessidade de vitalizar a vida de oração, contemplação e missão nas fraternidades locais;

2)      Acontecer a nível local as prioridades elencadas pelo capítulo nacional.

 

Objetivos:

 

Revigorar as fraternidades ;

Dinamizar a vida fraterna;

Fortalecer o senso de pertença;

Crescer na espiritualidade;

Ajudar o franciscano a se integrar com a realidade atual.

 

Recomendação final:

 

Cada Regional da Área Sul resolve, estabelece e desenvolve na sua Região.

 

04 e 05 de setembro de 2010, em Ituporanga/SC: próximo Encontro de Área

Contamos com as orações de todos e todas para a realização dessas propostas no nosso Regional Sul 3, além de colaborações a respeito de material a ser consultado e estudado, modos de colocar em prática, sugestões em geral.

Aos que participaram deste fraterno Encontro, o nosso muito obrigado franciscano,

Paz e bem!!!!

Olá, como estás, paz e bem!
Era assim que Francisco saudava os seus fratellos” O Senhor vos dê a paz!”
Quero partilhar da alegria de celebrarmos a festa dos estigmas de nosso Pai São Francisco!
 
Chagas de São Francisco :O perfeito amor de São Francisco ao crucificado!
 
Hoje 17 de setembro celebramos a festa da impressão das chagas de São Francisco de Assis. Os estigmas que Francisco recebeu em 1224, no Monte Alverne, após uma visão do Cristo crucificado em forma de Serafim alado, são inais visíveis de sua semelhança à humanidade de Cristo, nos seus três modos: na vida, na paixão e na ressurreição. Francisco encontrou-se pela primeira vez com o Crucificado na pequena Igreja de São Damião. Num certo dia, conduzido pelo Espírito, entrou nessa Igreja e prostrou-se diante da imagem do Cristo crucificado que, movendo de forma inaudita os seus lábios, disse: “Francisco, vai e restaura minha casa que, como vês, está toda destruída” (2Cel 10,5). E, conta-nos Celano, que Francisco sentiu desde então uma inefável mudança em si mesmo, pois são impressos mais profundamente no seu coração, embora ainda não na carne, os estigmas da venerável paixão. No entanto, foi ao ouvir o Evangelho acerca da missão dos apóstolos (Mt 10, 7-13), que Francisco compreendeu o real significado da voz do Crucificado, e imediatamente exclamou: “É isto que eu quero, é isto que eu procuro, é isto que eu desejo fazer do íntimo do coração” (1Cel 8,22). Assim, sob o toque ou o apelo de uma afeição, começou devotadamente a colocar em prática o que ouvira, isto é, distribuiu aos pobres todos os seus bens materiais, bem como renegou-se a si mesmo para que, exterior e interiormente livre, pudesse ir pelo mundo e anunciar aos homens a paz, a penitência e, enfim, o amor não amado de Deus. O amor que é Deus realizou-se na sua profundeza, largura e altitude na pessoa de Jesus Cristo. A encarnação, o estábulo, o lava-pés e a Eucaristia são expressões concretas do modo de amar como só o Deus de Jesus Cristo pode e sabe amar. Porém, foi especialmente ao entregar incondicional e gratuitamente a sua vida na Cruz, que o Filho de Deus revelou à humanidade que Deus é essencialmente caridade perfeita. Francisco, por inspiração divina, abraçou pobre e humildemente a cruz de Jesus e deixou-se impregnar, arrebatar e transformar totalmente pelo espírito de abnegação divina. Isso quer dizer que a imitação de Cristo, por parte de Francisco, não é mera repetição mecânica dos gestos exteriores de Jesus, mas é manifestação de sua profunda sintonia com a experiência originária de Jesus Cristo: o Reino de Deus. Somente quem possui o Espírito do Senhor pode observar “com simplicidade e pureza” a Regra e o Testamento de São Francisco e realizar em si mesmo as santas operações do Senhor. Na Terceira consideração dos sacrossantos estigmas considera-se que, aproximando-se a festa da Santa Cruz no mês de setembro, o pai Francisco, na hora do alvorecer, se pôs em oração, diante da saída de sua cela, e entre lágrimas orava desta forma: “Ó Senhor meu Jesus Cristo, duas graças te peço que me faças antes que eu morra: a primeira é que em vida eu sinta na alma e no corpo, quanto for possível, aquelas dores que tu, doce Jesus, suportaste na hora da tua acerbíssima paixão; a segunda é que eu sinta no meu coração, quanto for possível, aquele excessivo amor do qual tu, Filho de Deus, estavas inflamado para voluntariamente suportar uma tal paixão por nós pecadores”(I Fioretti)). E, relata Boaventura que, enquanto Francisco rezava, “viu um Serafim que tinha seis asas (cf. Is 6,2) tão inflamadas quão esplêndidas a descer da sublimidade dos céus. E […] apareceu entre as asas a imagem de um homem crucificado que tinha as mãos em forma de cruz e os pés estendidos e pregados na cruz. […] Imediatamente começaram a aparecer nas mãos e nos pés dele os sinais dos cravos” (LM 13,3). Assim, Francisco transformara-se todo na semelhança de Cristo crucificado (cf LM 13,5). Pois, de fato, trazia Jesus no coração, na boca, nos ouvidos, nos olhos, nas mãos, nos sentimentos e em todos os demais membros (cf. I Cel 9,115), e conseqüentemente podia exclamar com o apóstolo Paulo: “Eu vivo, mas já não sou eu, é Cristo que vive em mim” (Gl 2,20). O Pobre de Assis, no seguimento de Jesus Cristo, perdeu a sua própria vida, mas recuperou-a inteiramente em Deus, de acordo com a palavra do Evangelho: “Quem perder a sua vida por causa de mim vai encontrá-la” (Mt 12,25). Todavia, Francisco não somente reencontrou a si mesmo em Deus, como filho de Deus, mas a todos os seres do universo. O Cântico das Criaturas, que compôs pouco antes de sua morte corporal, é expressão jubilosa dessa intensa experiência eco-espiritual: “Louvado sejas meu Senhor, com todas as tuas criaturas”. O pai Francisco tornou-se assim um mestre na sequella Iesu. De imediato despertou o fascínio de muitas pessoas e atraiu muitos discípulos e discípulas, entre as quais, Santa Clara. Clara e suas Irmãs, a exemplo de Francisco, também querem chegar ao cimo da montanha da perfeição do amor. A propósito subscrevemos parte do VII capítulo (Do perfeito amor de Deus) de um interessantíssimo opúsculo que Boaventura escreveu à abadessa das Irmãs, do convento de Assis, sobre A perfeição da vida: “Não é possível excogitar um meio mais apto e mais fácil para mortificar os vícios, para progredir na graça, para atingir o auge de todas as virtudes do que a caridade. Por isso diz Próspero, no seu livro Sobre a vida Contemplativa: “A caridade é a vida das virtudes e a morte dos vícios”. Como a cera se derrete diante do fogo, assim os vícios perecem diante da caridade. Porque a caridade possui tanto poder que só ela fecha o inferno, só ela abre o céu, só ela dá a esperança da salvação, só ela nos torna dignos do amor de Deus. Tal poder possui a caridade que entre todas as virtudes só ela é chamada propriamente virtude. Quem a possui é rico, tem abundância, é feliz. […] E diz Santo Agostinho: “Se a virtude conduz a uma vida bem-aventurada, eu quisera afirmar em absoluto que nada é propriamente virtude senão o sumo amor de Deus”. Sendo, por conseguinte, o amor de Deus uma virtude tão elevada, cumpre insistir em alcançá-lo acima de todas as demais virtudes; porém, não um amor qualquer, mas só aquele com que Deus é amado sobre todas as coisas e o próximo por amor de Deus. Que a celebração das chagas de nosso pai são Francisco seja um momento de encontro pessoal com o senhor pela escuta da palavra e a partilha do pão!
 Paz e bem! Meu abraço fraternal!
Lenivaldo Carvalho, por ocasião  da festa dos Estigmas de nosso Pai São Francisco.

de Antoni Viladomat. 	  ca. 1729-1733.

Jesús concede a san Francisco la indulgencia de la Porciúncula / Antoni Viladomat. ca. 1729-1733.

A fraternidade N. Sª dos Anjos da Porciúncula de Porto Alegre, agora conta com um blog, o endereço é

http://ofsporciuncula.blogspot.com

Porto Alegre – 29 ago.

O ministro Newton com o vseu vice, André, em trente ao estandater com a logomarca da fraternidade.

O ministro Newton com o seu vice, André, em frente ao estandarte com a logomarca da fraternidade.

Na tarde de hoje, na sala de encontros da Paróquia São Francisco de Assis, sob a presidência de Izabel V. Teixeira, Coordenadora do 11º Distrito do Regional Sul3 da OFS (por delegação do ministro regional), foi realizado o 2º Capítulo Eletivo da Fraternidade N. Sª dos Anjos da Porciúncula que reúne-se nesta paróquia.

Participaram 19 irmãos professos num processo que durou quase a tarde inteira. O Conselho ficou assim constituido:

  • Newton L. S. Machado, Ministro
  • André L. L. Silva, Viceministro e 2º Secretário
  • Lorena Prodorutti, Mestra de Formação
  • Aline Gautier, 1ª Secretária
  • Neide S. Lopes, 1ª Tesoureira
  • Elaine M. Souza, 2ª Tesoureira
  • Adolfo S. Almeida, COODHJUPIC
  • Maria Constanza R. Rojo, SEI
  • Eugenio C. G. Hansen, Comunicação
  • e Frei Dorvalino Fassini, OFM, Assistente Espiritual
O Conselho eleito: Elaine. Dorvalino, Aline, Neide, Constanza, Lorena, André, Newton, Eugenio, Adolfo.

O Conselho eleito: Elaine. Dorvalino, Aline, Neide, Constanza, Lorena, André, Newton, Eugenio, Adolfo.

Rezemos para que o Deus Uno e Trino guie estes irmãos neste serviço que agora assumem.

Manaus (AM) – Após reflexões das diferentes Áreas em que está dividida a OFS no Brasil os capitulares recomendam o empenho no trabalho das seguintes prioridades:

Ação missionária do franciscano e da franciscana seculares

Elaboração de um programa de animação missionária que contemple a atuação

  • nas famílias, células primeiras para a transformação do mundo;
  • nas comunidades, locais privilegiados para o testemunho que atrai;
  • no encontro com os pobres,não perdendo de vista que eles são nosso ponto de partida;
  • nas atividades além fronteiras, sendo braço da Igreja onde a Igreja não pode estar,
  • sempre vigilantes para não cair na tentação do ativismo.

Revigoramento das reuniões mensais e da vida fraterna

  1. Conscientização dos Conselhos locais sobre a importância da preparação da reunião geral, de forma criativa e vigorosa, procurando envolver todos os participantes, quer professos,quer formandos,iniciantes ou simpatizantes;
  2. Manutenção da Pastoral dos Faltosos;
  3. Busca de uma maior aproximação com as Ordens e Congregações Franciscanas e Clarianas;
  4. Conscientização e preparação dos irmãos e irmãs para participação nos serviços fraternos à Fraternidade;
  5. Visitas com regularidade aos irmãos e irmãs do SEI (Serviço dos Enfermos e Idosos);
  6. Aplicação efetiva do DMR (Diretório das Mútuas Relações entre OFS e JUFRA);
  7. Busca do envolvimento dos familiares dos irmãos e irmãs da Fraternidade.

Promover a consciência ambiental

  1. Busca de ações solidárias na preservação e cuidado com a criação, dom de Deus para nós.
  2. Sensibilização e compromisso com o consumo consciente
  3. Acompanhamento e apoio aos Projetos de Lei relacionados às questões ambientais.
  4. Presença nos Conselhos Municipais ligados ao Meio Ambiente.

Manaus, 23 de agosto de 2009

Extraído de http://www.franciscanos.org.br/v3/carisma/ofs/notas/02_250809.php acesso em 26 ago. 2009.

O Capítulo Nacional da OFS do Brasil, que começou ontem (20) na cidade de Manaus (AM), iniciou a pouco o seu processo eletivo. E já temos um novo Ministro… Com 28 votos em 3º escrutínio, os capitulares elegeram Ministro Nacional o irmão Antonio Benedito de Jesus da Silva Bitencourt (PA), que no Conselho cessante esteve no serviço de Coordenador da Área Norte.

[Atualizado às 22:40] Para Vice-ministro Nacional foi eleito o irmão Vanderlei Suélio Gomes (GO), que servia como Coordenador da Área Centro-Oeste. Ele obteve, no 3º escrutínio, 22 votos de um total de 43 votantes.

Louvado seja Deus pela vida desses irmãos que o Espírito Santo escolheu como nossos Servidores.

* * * * *

[Atualizado às 23:59] O irmão Antônio Benedito Bitencourt concedeu a sua primeira entrevista como Ministro Nacional da OFS ao jornalista Wilson Firmo, do jornal Tribuna Popular (Cabo de Santo Agostinho – PE), que também é franciscano secular. Clique aqui para ter acesso à reportagem e ao audio da entrevista.

Extraído de http://ofssudeste2.blogspot.com/2009/08/ofs-do-brasil-tem-novo-ministro.html acesso em 22 ago. 2009 04h08min.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.