Anton Rotzetter OFMCap

A Terceira Ordem Franciscana tem uma história muito complexa. Remonta aos tempos pré-franciscanos: aos penitentes, entre os quais se contavam também Clara e Francisco mas os que já existiam há mais tempo.

Deve-se mesmo voltar aos primeiros séculos da Cristandade. Considerou-se que haviam quatro pecados graves que levavam à exclusão da comunidade eucarística: assassinato, adultério, falso testemunho, blasfêmia. Quem cometesse um destes pecados tinha que fazer penitência pública: não podia exercer nenhum cargo honorário, era-lhe proibido o convívio conjugal e tinha de levar uma vida de renúncia sensível. Tinha de vestir uma vestimenta de penitência e tinha de se mostrar na mesma quando os cristãos se reuniam para celebrar a Eucaristia. Mas só podia ficar até ao começo da própria Eucaristia. E isto durante muitas semanas até ficar absolvido na Quinta-Feira Santa ou na Missa do Sábado de Aleluia sendo então admitido de novo na comunidade eucarística da Igreja.

Isto observou-se durante muitos anos. Mas depois chegaram os monges irlando-escoceses e introduziram uma nova prática de penitência: já não foi pública, mas particular. Introduziu-se a confissão – primeiro contra a resistência da Igreja, e só, paulatinamente, a Igreja aceitava esta prática. A antiga prática de penitência pública foi abandonada cada vez mais. Foi então que mulheres e homens que queriam viver mais estritamente o Evangelho, se perguntavam se não podiam viver voluntariamente aquilo que a antiga Igreja sugeria aparentemente. E assim se desenvolveu o movimento voluntário de penitência.

No início do século XIII procedeu-se então à estipular regras escritas deste movimento. Há toda uma série de tais textos. Um data ao ano 1221. Durante muito tempo, foi considerado como sendo a regra da Terceira Ordem, mesmo como texto de São Francisco. Por conseqüência festejava-se este ano como o ano da fundação da Terceira Ordem, até reconhecer que

  1. este texto não tinha nada que ver com Francisco,
  2. os franciscanos chamavam-se primeiro também “penitentes de Assis” e que havia muitas coisas que indicavam que os mesmos tinham muito da sua forma de viver em comum com os penitentes (o mesmo é válido para a forma de viver de Sta. Clara),
  3. o texto citado continha um parágrafo que admitia diferentes influências espirituais, também a de Francisco de Assis,
  4. muitas mulheres e muitos homens quiseram seguir as pegadas de Francisco, mas quiseram ficar “nas suas casas”. Foi a estes que Francisco dirigiu a sua “Carta aos fiéis”.

Mas, o movimento dos penitentes foi muito maior e mais amplo do que o franciscano. No ano de 1289 o papa franciscano Nicolau IV declara todo o movimento de penitentes como sendo franciscano o que, realmente, não foi assim. Por isso, o mesmo ano é também o ano do nascimento duma Ordem Terceira de São Domingos.

Qual é então a data do nascimento da Terceira Ordem Franciscana? Seria difícil fixar uma data convincente. Penso que poderíamos dizer também: 1208/09.

Fonte deste texto:

Anúncios