Foi reconhecido que a Ordem “comunica” pouco, tanto em êmbito interno como externo.

Dentro da Ordem, todo esforço deve ser feito para aumentar a comunicação voltada ao conhecimento e às ações comuns de ajuda solidária tanto no seu âmbito interno como externo.

É essencial que os Conselheiros Internacionais entrem plenamente nos seus respectivos papéis com respeito as suas próprias fraternidades nacionais e a Presidência, e que eles se comuniquem regularmente em ambas as direções.

Também foi recomendado que se cuide a formação dos Conselheiros Internacionais nesse sentido, com respeito ao desenvolvimento de materiais específicos para que os Conselheiros da Presidência em seu âmbito possam entregar a todo novo Conselheiro Internacional eleito.

É necessário que as fraternidades de todos os níveis se abram umas para as outras, sobretudo em projetos de acompanhamento e unificação, especialmente nas relações com as “novas” e mais necessitadas fraternidades nacionais. Solicita-se que a Presidência assuma seu papel de formular propostas, promoções e constantes solicitações.

Com o propósito de favorecer um maior conhecimento e compreensão da Ordem, dentro e fora, foi reconhecido o excelente trabalho feito no website, e se formula o desejo de aperfeiçoá-lo assumindo todas as iniciativas necessárias, inclusive aquelas de solicitar fundos para este propósito.

Melhorias também são requeridas para o database dos endereços postais e e-mails que possam ser acessíveis a todos, incluindo JUFRA, para facilitar o acesso à comunicação em todos os níveis.

Fora da Ordem, é necessário estabelecer efetivo e permanente contato com a Igreja em todas as suas expressões. Especial atenção deve ser dada para as Igrejas locais a fim de realizar uma presença ativa no tecido vital da Igreja.

É muito importante identificar contatos e meios para estabelecer uma colaboração frutuosa com Ordens Terceiras Católicas (Dominicanos, Carmelitanos, Mínimos, etc…), com Ordens Terceiras Franciscanas não-Católicas e com todos os movimentos eclesiais e de boa-vontade que compartilham plenamente os objetivos da OFS.

É chegado o momento da coragem e da visibilidade para o serviço e para o testemunho do carisma franciscano. Para isto se deverão assumir, em todos os níveis, as próprias responsabilidades para ser ativamente presente em todos os eventos sociais qualificados e de promoção dos direitos humanos, da justiça, paz e integridade de criação. O instrumento privilegiado permanece e é sustentado com todos os meios possíveis, por Franciscans International.

Extraído de http://ofssudeste2.blogspot.com/2009/01/as-comunicacoes-capitulo-geral.html em 30 Jan. 2008.

Anúncios